Uma canção

par virginielebrun

Une chanson pour résister,

C’ est ce qu’ a fait Fernando Tordo en 1973, lors du concours de la chanson RTP qui permet de sélectionner la chanson qui représentera le Portugal. Il compare le pays, alors sous la dictature de Marcel Coetano, à une corrida ridicule avec de vieux fous, des snobs qui recherchent des bénéfices alors que le pays connaît la tristesse et les frustrations. Certaines paroles, notamment la deuxième partie, ont été censurées. Il a représenté le Portugal à l’ Eurovision (la langue étant connue de peu de personnes lors de ce concours).

Fernando Tordo

Não importa sol ou sombra
camarotes ou barreiras
toureamos ombro a ombro
as feras.

Ninguém nos leva ao engano
toureamos mano a mano
só nos podem causar dano
esperas.

Entram guizos chocas e capotes
e mantilhas pretas
entram espadas chifres e derrotes
e alguns poetas
entram bravos cravos e dichotes
porque tudo o mais
são tretas.

Entram vacas depois dos forcados
que não pegam nada.
Soam brados e olés dos nabos
que não pagam nada
e só ficam os peões de brega
cuja profissão
não pega.

Com bandarilhas de esperança
afugentamos a fera
estamos na praça
da Primavera.

Nós vamos pegar o mundo
pelos cornos da desgraça
e fazermos da tristeza
graça.

Entram velhas doidas e turistas
entram excursões
entram benefícios e cronistas
entram aldrabões
entram marialvas e coristas
entram galifões
de crista.

Entram cavaleiros à garupa
do seu heroísmo
entra aquela música maluca
do passodoblismo
entra a aficionada e a caduca
mais o snobismo
e cismo…

Entram empresários moralistas
entram frustrações
entram antiquários e fadistas
e contradições
e entra muito dólar muita gente
que dá lucro as milhões.
E diz o inteligente
que acabaram as canções.

 
Composição: José Carlos Ary dos Santos
Lien video:
 
Publicités